Domingo, 24 de Maio de 2009

 

The Secret Scripture de Sebastian Barry é daquele tipo de livros que se lêem num folêgo e ficam a ressoar em nós por muito tempo, depois de fecharmos o livro.

A trama fundamental  da história organiza-se em torno de uma mulher centenária, residente no hospital psiquiátrico de Roscommon, a qual,  por intermédio da escrita secreta de uma espécie de memórias, busca o apaziguamento da dor que existiu na sua vida. Apesar de ser intenção de Roseanne tornar esta sua actividade secreta, os registos acabam por ir parar à mesa do médico psiquiatra, doutor Grene, que nesse momento estuda o caso desta paciente para averiguar os motivos que conduziram ao seu internamento. O médico pretende apurar se Roseanne McNulty deve acompanhar o grupo de pacientes a ser transferidos para as instalações de um novo hospital.  Grene deligencia esta mudança de instalações tomado pela dor e confusão, resultante do falecimento recente da sua mulher e, na sequência, do rememorar de vivências traumáticas da sua infância.

Os relatos de vida destas duas almas em tormento, acabam por se ir embrincando até entroncarem numa mesma história que tem nos grandes acontecimentos da História recente da Républica da Irlanda, as suas coordenadas espacio-temporais. Em particular a vida de Roseanne que é a que primeiro sofre o impacto daqueles acontecimentos, por um lado, e por outro a sordidez de carácter das pessoas com quem ela se irá cruzar e que são as mesmas que a deveriam proteger. Apesar do imenso sofrimento da sua vida, o sofrimento que nunca desaparece, Roseanne tem a sabedoria de considerar que a sua dor é pequena quando comparada com a imensa dor do mundo. E conclui:

 

Um homem que se consegue fazer feliz, apesar dos desastres que vêm ao seu encontro, como vêm ao encontro de tantos, sem misericórdia nem favor, é um verdadeiro herói.

 

Ficamos a saber que há vida para além da dor; que  é fundamental confiar na Vida, que é arrogante, na sua altivez, mas magnânima, na sua capacidade de, a todos os momentos,   nos surpreender.

 



publicado por Mnemosine às 12:20 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


posts recentes

Booklovers

Versos, versos, versos,

Fernando Pessoa - Como a ...

Poema à boca fechada

Prelúdio de Natal

Íntima distância

Alma

Dom Mario Vargas Llosa

Jorge Luís Borges: Alguém...

Nona hora

links
arquivos

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds