Domingo, 5 de Julho de 2009

 

Como disse Wittengestein « A morte não é um acontecimento da vida» Não podemos vivê-la, podemos apenas vê-la acontecer aos outros, com diferentes graus de compaixão e medo, sabendo que um dia teremos o mesmo destino.

 

Poderíamos dizer que o nascimento, em si,  é uma sentença de  morte (...), mas é uma ideia perversa e inútil. Mais vale viver a vida e tentar apreciar o tempo que passa.

 

 

Traduziu-se Deaf Sentence de David Lodge por A vida em Surdina, a tradução possível. Na verdade, a tradução livre seria «Uma Sentença de Surdez» e se aprofundarmos, traduzir-se-ia por «Uma Sentença de Morte», na medida em que as pessoas surdas  não são capazes de ouvir as consoantes, precisamente a diferença entre «dead» e «deaf», diferença pouco perceptível da Língua Inglesa, mesmo para ouvidos treinados. E de resto, é isto que vamos encontrar no livro: a surdez de Desmond Bates a indiciar  a aproximação da morte que a personagem vai consciencilizar e viver por antecipação,  no processo de decadência e morte do seu próprio pai. E fá-lo, mas de forma divertida, evidenciando, por outro lado, o divertimento que é para os outros, a tragédia de um surdo. Os cegos geram sentimentos de compaixão, enquanto que os surdos de enfado.

Reflectindo a partir da afirmação de um condenado de Auschwitz, lugar que Desmond vai visitar a conselho do seu filho,  este reflecte as suas próprias perdas e conclui que o melhor é apreciarmos o tempo que temos. Aquele condenado tinha deixado um papel enterrado num frasco, na esperança deste poder chegar às mãos da sua mulher, e nele  lamentava não ter aproveitado o tempo que teve com ela, de não ter sido capaz de a apreciar no tempo em que isso era possível.

O Tempo é o mais precioso capital das nossas vidas.

A nossa vida vivê-mo-la no tempo e saber apreciar plenamente o tempo da nossa vida, na consciência de que cada momento que vivemos, em alegria ou tristeza, é irrepetível, é vivê-la. É torná-la memorável.

 



publicado por Mnemosine às 21:41 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


posts recentes

Booklovers

Versos, versos, versos,

Fernando Pessoa - Como a ...

Poema à boca fechada

Prelúdio de Natal

Íntima distância

Alma

Dom Mario Vargas Llosa

Jorge Luís Borges: Alguém...

Nona hora

links
arquivos

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds