Sábado, 01.08.09

 

Nunca podemos ser nós próprios: tinha acabado por compreender esta verdade primeira, que nunca mais esqueceria.

Sim, era uma vez um príncipe que descobriu o problema mais importante da vida: poder ser ele próprio ou não o conseguir. Mas quando Galip começava a imaginar as cores da história, adormeceu sentindo que se transformava noutro, e depois num homem que se afunda no sono.

 

Orhan Pamuk. Os jardins da Memória.

 



publicado por Mnemosine às 13:59 | link do post | comentar

Sábado, 25.07.09

 

 

Continuo a pôr-me a questão:

quais são as recordações cujo peso, à medida que envelhecemos , a nossa memória rejeita, semelhante a uma besta de carga indócil que sacode um fardo demasiado pesado, quais as que detesta mais ou quais as que mais facilmente lhe fogem?

 

 Orhan Pamuk. Os jardins da Memória.



publicado por Mnemosine às 10:23 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


posts recentes

Da Turquia, com amor

Questão: recordações

links
arquivos

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds